sábado, 23 de janeiro de 2010

A História do Pandeiro e a Origem do Pagodão

A História do Pandeiro

O Pandeiro foi criado originalmente na China, em torno do ano de 1230, uma época onde os Chineses ainda eram um povo legal e divertido.
O Chinês Xin-Chuang lauê-lelê, nome que em Chinês significa grande pássaro barulhento das montanhas rochosas do Nornordeste da Ásia, era um religioso da época. Com a necessidade de fazer barulho nos rituais e cerimônias religiosos teve a idéia de cortar um pedaço do couro de seu chimpanzé de estimação, uma parte redonda retirada da área entre a bunda e a perna, fez amarras numa armação de bambu e assim foi criado o primeiro pandeiro, ainda que de forma rústica.
Sem saber Xin-Chuang criava também a percussão.


Desenho de Xin-Chuang lauê-lelê feito com base em descrições do povo local. De fato muito parecido com aquele cara do filme da Múmia.


A Evolução do Pandeiro

Xin-Chuang já com certa idade passava a maior parte de seu tempo dando aulas de religião para jovens, porém, depois que seu chimpanzé de estimação morreu de tétano, Xin-Chuang enfrentou um período de instabilidade emocional e sentia seus pilares religiosos serem abalados quando um dia decidiu enfrentar o poder divino que passou a vida toda ensinando.
Reza a lenda que na frente de seus alunos Xin-Chuang repentinamente olhou para os céus e disse invocando aos Deuses de sua época: "Se vocês existem eu quero uma prova agora diante dos meus alunos!"
No mesmo instante recebera a prova, uma cobra picara o seu calcanhar direito, em seus últimos suspiros Xin-Chuang disse a um aluno as seguintes palavras agonizantes: "chocalho, cobra no pandeiro, colocar, balançar, sacudir, abalar".
Seu aluno entendera e imediatamente, antes mesmo de prestar socorro a Xin-Chuang cortou o chocalho da cobra que o picou e colocou no pandeiro, criando a primeira forma evoluída do instrumento. Esse aluno era Xung Larilauá.
Xin-Chuang faleceu pouco tempo depois mas graças ao seu gesto de abrir mão de socorro para a implantação do chocalho no pandeiro conseguiu evoluir o instrumento que ele mesmo havia criado, ganhando o título de Mártir do Pandeiro, título que o ilustraria em todas as lendas que envolveriam seu nome dali pra frente.
Seu aluno, Xung Larilauá, honrado pela confiança de seu mestre, levou o pandeiro passando-o de geração em geração em sua família.


A Chegada do Pandeiro no Brasil

Por volta do ano de 1500, com a evolução dos materiais o pandeiro já era um instrumento bem mais bonito e com uma sonoridade aprimorada. O responsável por isso era o membro da então atual geração da família de Xung Larilauá, o jovem Xing-Ling Larilauá.
Xing-Ling Larilauá era um jovem com espírito empreendedor e foi quem criou a primeira linha de produção de crianças chinesas. tirando proveito da má fase econômica da China
Xing-Ling Larilauá começou a criar imitações de produtos com materiais de menor qualidade e nomes paralelos. As crianças trabalhavam a todo vapor e o mercadinho de Xing-Ling Larilauá já era um sucesso, fato que o fez partir pra vender seus produtos ao redor do mundo.
O primeiro país que visitou foi Portugal e ao avistar o navio de um até então desconhecido navegador que estava quase de partida ofereceu velas de navio paralelas em troca de uma carona de barco até onde quer que eles fossem.
Este navegador era Cabral e sem saber, Xing-Ling Larilauá traria em sua sacola de muambas o primeiro pandeiro do Brasil.


A origem do Pagodão

O pandeiro fora muito bem aceito pelos índios da região e fora incorporado nos rituais religiosos e de macumbaria.
Ao mesmo tempo em que o pandeiro criava suas raízes no Brasil Xing-Ling Larilauá se desligava do instrumento, largando suas tradições para difundir as mercadorias paralelas, cultura que também foi passada de geração em geração para sua família.
No auge da escravidão o pandeiro não possuia mais nenhuma ligação com a China, seu país de origem. O convívio entre negros e índios em suas escapadas pros quilombos foram fundamentais para a criação do pagodão.
Historiadores dizem que as reuniões nos quilombos eram divididas em torno de 10 minutos para discutir o futuro e os planos de fuga e pelo resto da noite, nessa mesma roda de discussão, faziam comemorações envolvendo músicas com o som de pandeiros, torresmo de porco cabeludo e cachaça bagaceira. Era criada então a primeira roda de pagode.


O Pandeiro na Atualidade

Atualmente o pandeiro é um instrumento muito popular que faz parte da cultura Brasileira em músicas que vão do sacana ao bréga, está presente em todos os botécos e terreiros de macumbaria do país.


Pandeiro moderno. Poucos fazem idéia de tudo que se passou até que esse fosse o resultado.


Curiosidades

1- Os livros de história escondem o fato, mas uma das cruzes da caravela de Cabral possuia uma ponta a mais, era uma das velas que Xing-Ling Larilauá ofereceu em troca de carona no barco e por se tratar de uma de suas imitações baratas continha este erro gráfico. Outro fato ocultado pelos historiadores é que no meio do caminho uma das velas paralelas se quebrou, desviando a rota de navegação e fazendo que só assim Cabral fosse parar no que então seria o Brasil. Em outras palavras, se não fosse o material vagabundo usado por Xing-Ling Larilauá para construir as velas, o Brasil não teria sido descoberto por Cabral.

2- Originalmente os grupos de pagodão eram compostos por somente quatro integrantes, porém, reza a lenda que certa vez um grupo de pagodão se atrasou pra um show e os produtores tiveram que arrumar o palco durante as músicas. Enquanto arrumavam tudo fingiam estar dançando e cantando como se fossem parte do grupo. Disso nasceu a tradição de todos os grupos de pagodão contarem com a média de 16 integrantes, sendo que 4 tocam e o resto não faz merda nenhuma além daquela dancinha escrota.

3- O chimpanzé de estimação de Xin-Chuang lauê-lelê contraiu tétano após ele usar um punhal enferrujado para cortar o couro do animal, usado na confecção do primeiro pandeiro.

4- Pandeiro vem do Chinês "Bunda de Chimpanzé" e por isso na linguagem informal é usado como um dos sinônimos de bunda.

Conclusão

Diante de uma história tão bonita eu tenho o orgulho de dizer que estarei dando continuidade a isso tudo, escrevendo a primeira tablatura de pandeiro do mundo aqui neste blog.
um conteúdo exclusivo e histórico dando um passo adiante na história do pandeiro moderno.
Ao mesmo tempo lanço o mais novo grupo de pagodão, chamado "Perébas do Pandeiro". Este grupo fará lançamentos constantes em tempo real aqui no blog, envolvendo músicas com temas atuais, todas com as devidas tablaturas para que você, fã do pandeiro, possa tocar o cover em casa e levar a galera ao delírio. Fiquem atentos.

Um comentário:

Anônimo disse...

que merda! kkkk